relogio

A cada ano que se vai mais pessoas comentam sobre como os dias, meses e anos têm passado cada vez mais rapidamente e como não têm conseguido fazer tudo o que precisam dentro das 24 horas do dia que têm.

*Sugiro que ouça a música deste link enquanto lê o texto abaixo: https://soundcloud.com/pedro-lucas-rodrigues-queiroz/02-tempo-para-amar

**Clique aqui para ver a letra e o clipe original desta música.

Me pergunto então como algumas pessoas – incluindo a mim mesmo – conseguem fazer o que querem sem perder qualidade de vida dentro dessas mesmas 24 hora do dia.

A resposta que encontro chega a ser infantil:

Elas priorizam o que querem fazer e não perdem tempo com o que não querem e não precisam.

“Ahhh!!! Mas assim é muito fácil! Nem todos são afortunados o suficiente para fazer apenas o que querem.”

Será que não mesmo?

Na linha de estilo de vida proposta pelo Coaching difundimos que cada pessoa é completamente responsável por tudo o que acontece em sua vida, incluindo o que a primeira vista parece não ter relação alguma com as escolhas de cada pessoa.

Pensando assim, se você está preso em um trabalho de 44 horas semanais (ou mais) do qual você não gosta, entenda que a escolha foi sua de entrar – e continuar – nesse emprego.

24 horas do dia desperdicio

Na ponta da língua posso facilmente te citar uma centena de pessoas que se libertaram do trabalho “sacrifício” e que hoje trabalham naquilo que realmente gostam e querem fazer.

Aproveito para citar que no ano passado (2014), 62% dos executivos brasileiros se mostraram insatisfeitos com a distribuição de tempo na vida que levam. Clique aqui para ver as pesquisas conduzidas pela DMRH.

Veja bem: não há nada de errado em trabalhar 44 horas semanais, até porque alguém precisa exercer aquela função mantendo o funcionamento da máquina social.

Agora a sugestão é que você ocupe uma posição que realmente queira exercer!

Sabe por quê?

Porque se você ama o que faz, então parece que o trabalho não “ocupa” seu horário.

Muito pelo contrário, a sensação é a de que você está aproveitando cada minuto da sua vida cumprindo o que veio aqui para fazer.

Mas como encaixar tanta coisa que quero fazer nas poucas horas que “sobram”?

Assim que você entender que tempo é priorização, entenderá que sempre terá tempo para fazer o que mais quer.

Visualize a seguinte situação:

Você quer muito ir a um curso mas tem um casamento do seu irmão na mesma data.

Certamente o casamento é imperdível e impossível de ser remarcado, mas e o curso? Há grandes chances dele ser oferecido mais de uma vez.

Sendo assim, já se inscreveu para a próxima data disponível do curso?

Este foi um exemplo extremo, mas que faz todo o sentido. 

Responda essa: Quantas vezes você deixou passar uma oportunidade de crescimento para ir ao bar com os amigos ou ficar em casa assistindo Netflix?

24 horas do dia estudar ou trabalhar

Não há nada de errado em escolher alguma dessas opções, apenas não se esconda atrás delas, como se fosse uma obrigação ou condição necessária para a vida.

Professores de Inglês com certeza já passaram por este diálogo:

“- Olá Vinicius, como vai? Tudo bem?

– Opa, beleza? Maravilha e você?

– Aqui tudo joia também. Te perguntar: Você dá aula de inglês ainda? Em quanto tempo eu consigo falar inglês fluentemente?

– Ah, essa é uma pergunta bem relativa, vai depender dos seus objetivos e do quanto você se dedicar.

– Então, mas tipo 1 ano eu já tô “me virando”?

– Eu tenho casos de alunos meus que em 2 anos de aula não têm a mesma desenvoltura de outros que também tiveram aulas comigo e que em 6 meses já conseguiram se comunicar razoavelmente bem.

[Não estou falando de ser fluente ou não, muito menos querendo vender fluência. Essa é uma questão para outros textos.]

– E qual a diferença entre eles?

– A dedicação, o compromisso, a disciplina… Eles não ficam presos só na sala de aula e praticam em todos os momentos. Por exemplo, mude toda a tecnologia ao seu redor, começando pelo seu celular, para inglês, agora mesmo!

– Ah não! Inglês é difícil demais. Aí não vou entender nada que está escrito no meu próprio celular.

– É levemente desafiante mas dá para entender tudo muito bem. Garanto que não vai passar vontade. Além disso, quanto tempo você tem disponível para se dedicar ao seu aprendizado do idioma?

– Ahh… Tô meio apertado ultimamente, mas pelo menos as 2 aulas por semana acho que dá.

– E além das aulas? Como tá de tempo livre?

– Tá bem apertado… Tenho muita coisa pra fazer, trabalho, faculdade, namoro, esporte, amigos e tal…

– Como eu disse, você vai aprender na mesma velocidade em que se esforçar. Pense que aprender uma língua é igual a ganhar músculos na academia. Quanto mais você frequentar a academia e melhorar sua alimentação, mais rápido verá resultados.

– Cara, esse negócio de aprender inglês é difícil demais. Vou ver e mais pra frente eu te falo.

(Nunca mais se ouve falar dessa “vontade” de aprender inglês.)”

O que mais me incomodava é saber que, na verdade, essa pessoa nunca quis, de verdade, usar seu próprio potencial para aprender inglês.

Inventou várias desculpas e priorizava tudo, exceto a disciplina necessária para aprender um idioma.

Eu estava olhando para uma pessoa que simplesmente não queria crescer.

Foi aí que entendi que não podemos ajudar a quem não quer ser ajudado.

24 horas do dia prioridades

Pensando assim, faça mais com menos.

Dentro das suas 24 horas do dia, priorize o que é essencial, remarque o secundário e cancele o que não te desenvolve.

Vinicius Diamantino

Vinicius Diamantino

Opa, tudo joia? Meu nome é Vinicius Diamantino, eu sou o fundador do Portal DeProfPraProf, Professor de Inglês há mais de 11 anos e Master Coach com foco educacional. Além de Professor de vários cursos aqui do Protal também escrevo artigos para o Blog interno e para alguns dos maiores blogs de Ensino de Língua Inglesa do Brasil: o Blog Disal e o Blog RichmondShare.

DEPROFPRAPROF-LOGO-COLORIDO-HORIZONTAL

© 2018 DeProfPraProf. Todos os Direitos Reservados.